Número total de visualizações de página

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Violencia Domestica

http://youtu.be/mLrPtLTExCM

Ministério dos negócios estrangeiros

Pedro Lourtie assina Convenção contra violência sobre mulheres e violência doméstica.
O secretário de Estado dos Assuntos Europeus, Pedro Lourte, assinou esta manhã, em manhã, em nome de Portugal, a Convenção para a Prevenção e o Combate à Violência sobre as Mulheres e a violência doméstica.
A assinatura teve lugar no quadro da 121a. sessão do Comité de Ministros do Conselho da Europa, que teve lugar ontem e hoje em Istambul e em que Pedro Lourtie participou.
Portugal tornou-se, assim, num dos primeiros 13 Estados-Membros do Conselho da Europa a assinar aquele que constitui o primeiro instrumento internacional juridicamente vinculativo  a cobrir praticamente todas as formas de violência contra as mulheres.
Após a assinatura da Convenção teve lugar a sessão formal do Comité de Ministros. Na sua intervenção, Pedro Lourtie, que preside a Comissão Nacional dos Direitos Humanos, salientou o compromisso de Portugal com a promoção dos valores do Conselho da Europa, designadamente democracia, os direitos humanos e o Estado de Direito, e destacou neste contexto do papel do centro Norte-Sul do Conselho da Europa, sediado em Lisboa, e o trabalho que o mesmo tem vindo a desenvolver com vários parceiros internacionais particularmente com a Aliança das Civilizações.

Governo de Portugal, 11.05.2011

Nicolas Cage detido por violência doméstica

O actor norte-americano, Nicolas Cage, foi detido esta sexta-feira por ter agredido a mulher na via pública e por ter desafiado as autoridades. A detenção aconteceu em Nova Orleães, nos Estados Unidos, e terá sido um taxista a denunciar o actor depois de ter visto Cage a agredir e a insultar a mulher. Quando a polícia chegou ao local, Cage terá provocado as autoridades dizendo: "Porque é que não me prendem?" Nicolas Cage terá sido libertado no Sábado, após o pagamento de uma fiança. Cage é casado com Alice Kim e tem um filho de cinco anos.




Publicado a 18 de Abril em i informação.

quarta-feira, 30 de março de 2011

Ficção Portuguesa - Famosos e Novelas

Ao contrário do que muita gente pensa, as novelas não servem apenas para passar o tempo ou simplesmente vibrar com os psicodramas das personagens recriadas no ecrã. A ficção serve também para alertar os espectadores para os problemas da sociedade actual. E quanto á violência doméstica nada mais poderia ser feito: a TVI em particular tem abordado esta tematica em quase todas as suas produções. Em "Ilha dos Amores", Helena Laureano encarnou a personagem de Cecilia, uma pobre mulher que era constantemente violentada pelo marido. Em "Casos da Vida - Noivas de Maio" foi a vez de Paula Neves viver a personagem de uma mulher que sofria nas mãos de um alcoolico. Recentemente as cenas mais violentas e dramáticas poderam ser vistas em "Espirito Indomável": as formas que Rodrigo (Luis Esparteiro) arranja para se vingar da mulher são inimagináveis. A ultima resumiu - se a um rapto, um barracão e um cinto que encarnou o papel de chicote! 


+TVI - 02.12.2010

 Como comenta esta abordagem de «Espírito Indomável» à violência doméstica, neste caso, exercida essencialmente a nível emocional?
É importantíssima. Sobretudo como mulher e cidadã, mas também como psicóloga considero urgente, sublinho, urgente, que Portugal se una e se acabe com isto de uma vez por todas.Os números já são assustadores e penso que, mesmo assim, estarão um bocadinho abaixo da realidade. É isso que sinto no meu consultório e é vergonhoso que as pessoas ainda tenham este tipo de comportamento. Ainda bem que já é crime. Apelo às mulheres que sofrem de violência doméstica para que tenham a ousadia de arriscar ser felizes e às pessoas que vêem e que se calam para que não sejam cúmplices, pois assim são tão culpadas como o agressor.
Entrevista com Carla Andrino - SAPO TV

Números 2010 - APAV


Estatísticas APAV



quarta-feira, 23 de março de 2011


Pai de Lindsay Lohan detido acusado de violência doméstica

Autoridades de Los Angeles anunciaram que o pai de Lindsay Lohan foi detido sob acusação de manter a namorada em cativeiro e impedi-la de chamar a polícia.
Os polícias teriam sido chamados às 21:00, hora local, de segunda-feira ao apartamento de Michael Lohan.
Lohan, de 51 anos, foi indiciado e será investigado por impedir denúncia de crime, manter pessoa em cárcere privado e agressão. A fiança é de 200 mil dólares.
Segundo as autoridades, a namorada recusou tratamento médico, mas Lohan foi levado para um hospital, por problemas médicos não
relacionados com o incidente, após ser indiciado.  O pai de Lindsay Lohan tem um histórico de agressões a ex-namoradas.
A actriz, que não conversa com o pai, não prestou declarações sobre o caso.

Diário Digital, 22 de Março de 2011

 
40
mulheres morrem todos os anos em Portugal vítimas de violência doméstica.

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011


Exemplos de violência física:

- Bofetadas
- Puxar
- Empurrar
- Esmurrar
- Beliscar/picar
- Morder
- Arranhar
- Deitar ao chão
- Socos, pontapés
- Cuspir
- Bater com um objecto
- Agredir com armas ou objectos (pau, régua, cinto, chicote, faca, etc.)


Exemplos de violência psicológica:

- Ameaçar bater
- Ameaçar fazer mal às crianças, animais, etc.
- Ameaçar usar uma arma
- Ameaçar matar-se
- Partir objectos, destruir bens pessoais
- Dar murros nas paredes
- Bater com as portas
- Perseguir (telefonemas incessantes, e-mails ou mensagens ameaçadores, fazer esperas)

Exemplos de violência verbal:

- Insultar, chamar nomes
- Fazer comentários cruéis
- Berrar
Associação de mulheres contra a violência

Mitos e realidades sobre a violência doméstica



São muitos os mitos acerca da violência doméstica.
Acreditar neles perpetua o problema.


Mito: O álcool e/ou as drogas fazem com que as pessoas se tornem violentas.
Realidade: As substâncias químicas não são a causa da violência, mas podem potenciá-la porque têm um efeito desinibidor.


Mito: Os homens que batem nas Mulheres são doentes mentais.
Realidade: Os agressores são pessoas “normais”. No entanto, a forma como se comportam nas relações interpessoais pode revelar uma estrutura violenta.


Mito: A violência doméstica é um problema que não afecta muitas Mulheres e só existe em famílias de baixo nível socioeconómico.
Realidade: As estatísticas internacionais indicam que existam entre 20% e 30% de Mulheres vítimas dos seus companheiros ou maridos, que provêm de todos os estratos sociais, de todas as idades, raças e credos religiosos.


Mito: Uma agressão é apenas uma perda momentânea da razão por parte da pessoa que agride.
Realidade: Qualquer tipo de violência, de uma pessoa sobre outra, é crime. O/A agressor/a age para manter o controlo.


Mito: As Mulheres vítimas de violência consideram importante para o desenvolvimento dos/as filhos/as a convivência destes com o pai.
Realidade: Cientificamente está provado que só pelo facto de as crianças estarem expostas a situações de violência é possível observar o impacto dessas vivências através de alterações comportamentais, emocionais e psicológicas das crianças.



 

Mito: As Mulheres vítimas de violência doméstica só o são porque não saem de casa e até devem gostar de apanhar.
Realidade: As Mulheres sobreviventes de violência canalizam as suas energias, diariamente, a tentar sobreviver e a evitar serem mortas.


Mito: A Mulher não pode sair de casa porque perde direitos e pode ficar sem os/as filhos/as.
Realidade: A Mulher tem o direito e a responsabilidade de proteger-se a si e aos seus filhos.


Mito: O álcool e as drogas tornam o homem violento.
Realidade: A maior parte dos homens violentos, são-no, sem estarem sobre o efeito do álcool ou drogas.


Associação de mulheres contra a violência
O ciclo da Violência Doméstica


1º Momento
Começam por ocorrer pequenos episódios de violência;



2º Momento
Depois a tensão aumenta, o grau de violência aumenta e dá-se a explosão;



3º Momento
Na chamada fase “Lua-de-mel” o/a agressor/a pede desculpa, diz que a ama e promete que não volta a acontecer